Mostrar mensagens com a etiqueta As cartas que escrevi. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta As cartas que escrevi. Mostrar todas as mensagens

sábado, 16 de julho de 2016

Carta de Despedida

DR
Tocam os sinos. O dia começa com lágrimas, com pedidos. Espero que ele regresse mas o tempo passa, e passou um ano, quase dois e não regressa. Onde estás??
Falo para o ar, fingido que me ouves, aliviando o que em mim sinto desde que não te vejo.
Desde que partiste que nada mais foi igual. Já não tenho quem se ofereça para me ajudar quando estou a estudar; já não tenho quem me pegue nas mãos, as analise e me diga que são mãos de professora; já não tenho quem jogue às cartas comigo; já não tenho quem me faça companhia, quem me bata à janela, quem me convide para jantar. Já não tenho ... mas tenho, tenho em mim a memória que me faz lutar, viver com o desejo de concretizar o que me dizias. "Oh minha menina, estuda!"
É com a tua voz na minha cabeça que vou traçando o meu caminho da melhor forma. Sigo os teus conselhos, mas ainda não chego aos calcanhares das tuas ínfimas histórias.
És quem não esquecerei e quem não quero desiludir.
Ao melhor avô do Mundo.


sábado, 23 de janeiro de 2016

Opinião: As Cartas Que Escrevi

Foto: Cláudia Pereira

Muito se escreve nas redes sociais ou via email, mas talvez não se tenha tanto a tendência de ir ler o que nos disseram. Já as cartas são guardadas. Os emails (mais tarde ou mais cedo) apagados. Estas são mensagens que a autora Eliana Bertolino quer passar em As Cartas Que Escrevi.

Em vez de responder ao email, porque não enviar uma carta? De facto, perdeu-se o hábito de escrever cartas. Será pelo tempo que se demora a receber uma resposta?

Eu própria não escrevo muitas cartas. Escrevo sobretudo para a minha penfriend (amiga por correspondência). Porém, ao ler este minilivro cresceu em mim uma vontade imensa de escrever uma cartinha a quem nunca tinha escrito. Da leitura passei à prática e já recebi respostas: “também te vou responder”. Porque o livro nos desafia, nos pergunta “porque não?”, nos dá ideias. 

Por tudo isto, As Cartas Que Escrevi é um livro que nos põe à prova e nos incita a escrever a quem gostamos. Não é uma obra com personagens fictícias, mas sim um testemunho real de quem usa a escrita para se exprimir. Portanto, se tal como eu não escreves cartas nem tens inspiração para tal, aconselho-te a leitura deste livro.

Foto: Cláudia Pereira

Texto escrito em parceria com a Chiado Editora.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover