Mostrar mensagens com a etiqueta Perfil. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Perfil. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 23 de julho de 2015

O senhor da "Lamechalândia"

CURIOSIDADES SOBRE PEDRO CHAGAS FREITAS
Em meados de 2012, Francisco Penim, ex-diretor de programas da SIC e atual diretor adjunto de programação da CMTV, recebeu na sua caixa de correio um email de que ainda hoje se lembra. Como recorda à Sábado, um tal de Pedro Chagas Freitas, de que nunca tinha ouvido falar, convidava-o para apresentar um livro seu. O tratamento era por tu: "És a pessoa ideal. O teu percurso é a cara deste livro!" Em anexo vinha uma obra chamada ‘Eu Sou Deus’. Ao contrário do que o título supunha, Pedro Chagas Freitas não estava a lançar uma autobiografia, e a edição do livro até tinha sido paga do seu próprio bolso: €1200, correspondentes a 100 exemplares. Francisco Penim acabou por aceitar o convite – "mais pela lata com que fui abordado" – e no dia 12 de abril de 2012 apresentou a obra. Ao seu lado estava a escritora Clara Pinto Correia e o ator e apresentador Gustavo Santos – todos convidados da mesma forma. Três caras conhecidas num espaço da moda em Lisboa foi o suficiente para a agência Lusa fazer uma longa peça sobre o assunto, que incluía declarações do escritor. O site do Diário de Notícias publicou o texto no dia 10 de abril – Pedro Chagas Freitas era tão conhecido que aparecia referido como Pedro Chagas Ferreira. Pormenores. O objetivo estava conseguido: visibilidade. (texto da revista Sábado adaptado ao novo acordo ortográfico)

Serão os escritores solitários e apenas românticos na escrita? Esta questão foi o mote da conversa com uma colega minha, que é fã do senhor da "Lamechalândia", Pedro Chagas Freitas. 

terça-feira, 14 de julho de 2015

Hitler - Uma Biografia

O Instagram e o Facebook do blogue estão com sérios problemas em funcionar corretamente. Apesar disso, estou mesmo contente com o entusiasmo que demonstraram nos textos sobre o livro e filme Os Filhos da Droga (podem ler AQUI e AQUI).

Aquilo que mais gosto do blogue é poder ler as vossas opiniões/comentários e a partir do momento em que o consigo fico mesmo feliz. Tudo isto sem vocês não fazia mesmo sentido, portanto não me canso de vos agradecer. Bem, passando ao tema de hoje: Hitler. Quem é que gosta dele? (É uma boa pergunta, confessem).

Fotos: Cláudia Pereira
Hitler é o famoso governante da Alemanha (de 1933 a 1945) de que Ian Kershaw fala neste primeiro volume, Hitler - Uma Biografia. O desprezo do autor por esta figura vai deste mundo ao outro. O livro parece uma tese (bem escrita) sobre Hitler antes mesmo do seu nascimento. Ian vai ao fundo da sua vida para procurar perceber por que razão Hitler fez o que fez, de onde vem o ódio pelos judeus...porquê.

Pelo meio o leitor é confrontado com ideias sobre Hitler que já foram bastante difundidas e cuja irrealidade Ian desconstrói. Além de afirmações falsas que Hitler divulgou no seu livro Mein Kampf (A Minha Luta), a "bíblia" das suas estratégias políticas, publicado oito anos antes de o mesmo ser chanceler do Terceiro Reich.

Ao longo do livro, irritei-me com a ociosidade de Hitler, com o facto de não se encontrarem de imediato explicações para o seu ódio antissemita, indispus-me também porque ele mentia aos seus mais próximos por simples orgulho. É alguém de quem não estava à espera ler o que li, pois sempre tive a ideia de que quem ascende socialmente é quem batalhou toda a vida por um futuro melhor. Já Hitler procurou desenhar, desenhar e... passarinhar. Claro que também lia livros, jornais e ia a inúmeros espetáculos de ópera mas de facto esteve muito tempo sem definir metas na sua vida.

Foi um "João sem rumo".

Vejo-lhe como atributo a sua capacidade retórica, mas facilmente consigo não gostar dele. A ociosidade, a teimosia, o orgulho, os falhanços, o comodismo e tantos outros defeitos que se leeem (nas entrelinhas ou não) deste primeiro volume.

O genocídio, as atrocidades e o ódio por um lado, e a inegável capacidade retórica, por outro. Como se costuma ouvir, ele foi uma «impessoa» e é a conhecer os seus defeitos que podemos mudar a nossa forma de pensar. Vale a pena ler as linhas e as entrelinhas desta biografia.

Deixem nos comentários se querem que eu escreva um resumo da vida de Hitler. 


Esta série de volumes da autoria de Ian Kershaw pode ser adquirida juntamente com o Expresso.


Participem nos comentários deste post. Obrigada!!


terça-feira, 7 de julho de 2015

Mafalda Ribeiro tem uma vida "sobre rodas"

Mafalda Ribeiro diz que a vida lhe "corre sobre rodas". Tem uma doença congénita rara caracterizada por falta de cálcio nos ossos. Portanto, os seus ossos são tão frágeis que não aguentam "suportar" o corpo para conseguir andar sozinha. Tinha razões mais que suficientes para odiar muito em si, mas diz que o que menos gosta nela é "a voz de banda desenhada". Licenciada em Jornalismo, essa caraterística vocal "não lhe permite" fazer rádio. É esse o problema.
Se reencarnasse seria uma girafa, pois era o contrário do que tem, ou seja, teria um pescoço grande e umas pernas longas. (Cliquem nos links para aceder às entrevistas.)

domingo, 5 de julho de 2015

"O jogador era o analfabeto que não comia com talheres"


Jogador, analfabeto e não comia com talheres. É António Oliveira, ex-jogador de futebol do FC Porto, Bétis, Penafiel, Sporting e da seleção nacional. 

"Qualquer gajo pode ser doutor, mas, jogar à bola, pode andar 100 anos que não chega lá". António cursou Direito para provar à Mãe que essa afirmação era verdadeira e terminou a licenciatura aos 54 anos. O lema "por cada leão que cair, outro se levantará veio da [sua] cabeça" e não adianta explicações.

Numa entrevista ao Expresso, quando lhe perguntam "de todos os jogadores com quem jogou, qual o melhor" responde ser "o Oliveira", mas não diz explicitamente que se refere a ele próprio. Não obstante, António Oliveira tem um percurso notável no mundo do futebol. 

O "menino Toninho" foi aos 15 anos a um treino às escondidas dos pais e foi escolhido para os juvenis do FC Porto. A condição para lá jogar era continuar a estudar, pelo que Oliveira foi estudar para o lar do FC Porto. Logo aos 17 anos foi chamado ao plantel principal.

“Não admitia que nenhum jogador ganhasse mais um

cêntimo do que eu. Podia ganhar igual; mais não.”

Ganhou o galardão Associação dos Jornalistas de Desporto (CNID) três vezes (1978, 81 e 82). O prémio distingue o melhor futebolista português e "até ao Eusébio eu ganhei alguns prémios", afirma com orgulho.



Texto com base em:
Expresso, 14 de março de 2015, pps. 52 e 53
Imagem Rui Duarte Silva

segunda-feira, 30 de março de 2015

Miguel Albuquerque

Foto: DR
Miguel Alburquerque é o atual presidente do Governo Regional da Madeira. Venceu as eleições ontem, 29 de março, e sucede a Alberto João Jardim, o denominado "Rei da Madeira", por causados seus 37 anos na presidência.

Segundo o semanário Sol, o atual líder do PSD-M, chegou a tocar em bares e, simultaneamente, cursou Direito em Lisboa. Advogado de profissão, foi presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF) desde setembro de 1994, mas foi obrigado a sair a 21 de outubro de 2013, por causa da lei de limitação de mandatos.
Apesar de não ter sido eleito presidente da Câmara, porque Virgílio Pereira havia abdicado, venceu com maioria as eleições autárquicas seguintes, de 1998, 2001, 2005 e 2009.
Ligou-se à política desde muito cedo. Foi líder da JSD-Madeira nos anos 80. Na mesma altura em que Pedro Passos Coelho era também líder nacional da JSD. A amizade vem daí.
A divergência com Jardim já consta de há alguns anos. Miguel apoiou o Movimento de Apoio a Mário Soares Presidente (MASP­), enquanto Jardim defendeu Freitas do Amaral nas Presidenciais de 1986. Na corrida a líder do PSD-M, perdeu por poucos votos para Alberto João Jardim, em novembro de 2012. O mesmo ocorreu no apoio à candidatura de Pedro Passos Coelho à liderança nacional do partido, ao invés da preferência de Jardim por Paulo Rangel. 
Miguel Filipe Machado de Albuquerque é produtor de rosas raras, no norte da Madeira, onde existe uma coleção com cerca de 17 mil roseiras de mais de 1700 espécies (o quarto maior roseiral da Europa).
Albuquerque faz parte da ‘Royal National Rose Society’, da ‘The World Federation of Rose Societies’ e da ‘American Rose Society’.

Vida Pessoal e Educação

Miguel Albuquerque nasceu no Funchal em maio de 1961. Fez a escola primária no Colégio Lisbonense, no Funchal, e o secundário no Liceu Jaime Moniz. 
É licenciado em Direito e exerceu a advocacia entre 1986 e 1993, ‘especializando-se’ nas áreas do Direito Criminal e da Família. É divorciado e pai de cinco filhos. Aos 15 anos foi campeão da Madeira na técnica de natação crawl.
O pai tem origem açoriana, quase monárquica, da família Canto de Albuquerque. E o avô era o tenente Francisco Ernesto Machado, um dos militares da Revolta da Madeira contra Salazar, a 4 de abril de 1931. É irmão do enólogo Francisco Albuquerque, premiado internacionalmente pela produção de vinho Madeira.

Tem várias obras editadas:

‘Funchal, sobre a Cidade’ - Coletânea de artigos publicados na imprensa (1996); 
‘Espelho Múltiplo - Política e Modernidade (1999);
‘Roseiras Antigas de Jardim (2006);
‘Crónicas dum Lugar-Comum’ (2010).

Foto: DR
Foto: DR

PS.: Coloco este post na categoria "Perfis", embora saiba que não obedece às regras do mesmo.
         A informação relativa à eleição de Miguel Albuquerque já poderá não ser verdade (informações aqui).

sábado, 17 de janeiro de 2015

Perfil - Sandra Celas



Nome: Sandra Augusta Pedro Celas
Nascimento: 24 de janeiro de 1975        
Residência: Lisboa
Profissão: atriz e cantora

sábado, 10 de janeiro de 2015

Perfil - Jéssica Augusto




Nome: Jéssica de Barros Augusto
Nascimento: 8 de novembro de 1981, em Paris, França
Residência: Braga, Portugal
Profissão: Atleta
Modalidade: Atletismo, desde 1997
Local de treino: Maia, Portugal
Equipa: Nike
Treinador Principal: Elsa Amaral

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover